Homem é traído pela mulher e faz filho de refém ameaçando cortá-lo com vidro ou joga-lo de 10 metros altura

0
221
Compartilhe

Um homem decidiu levar um caso extraconjugal ao extremo, colocando em risco a vida do próprio filho, que ainda é um bebê. O caso aconteceu em Franco da Rocha, em São Paulo, ainda no último domingo (29). Após ter descoberto que estava sendo traído pela companheira, o suspeito decidiu pegar a criança e fazê-la de refém. Com a chegada das autoridades, o homem começou a ameaçar pular ou até mesmo jogar o filho de uma altura de 10 metros. Por sorte, o Grupo de Ações Táticas Especiais (GATE) entrou em ação e teve sucesso no caso, conseguindo salvar a criança e prendendo o pai, que para muitos, não poderia ser chamado como tal.

As negociações duraram cerca de seis horas. Nas redes sociais, circula uma versão mais curta do que aconteceu, com um trecho de quase um minuto. Pelo vídeo, que está focado no suspeito, que aparece sem camisa, pode-se ver que ele está com um grande pedaço de vidro na mão. Em todo o trecho, o sequestrador do próprio filho continua a falar. Conforme informações, estaria ameaçando se jogar. O homem chega a sentar no muro que separa a residência da rua. No colo, a criança aparece sempre desesperada.

A gravação que aparece nas redes sociais também mostra o exato momento em que o GATE detém o suspeito. Primeiro, uma mulher, que é a avó do garoto, leva um copo da água, com a desculpa que acalmará o menino, que está no colo do homem. Quando ela entrega a caneca, rapidamente ela entra em ação puxa a criança. Nesse mesmo momento, soldados ajudam a puxar o refém e depois invadem a sacada para prender o homem, que ainda tentou resistir.

Conforme informações de veículos de comunicação, os policiais decidiram agir quando perceberam que o suspeito ficou mais violento. As autoridades também comentaram que a ação já estava planejada caso o comportamento do homem se tornasse agressivo, mostrando um preparo excelente do GATE.

O estado da criança, que tem um ano, é estável. Foi constatado que o garoto teve uma leve desidratação já que não foi bem alimentado nos momentos que foi refém.

Compartilhe