Tsunami que atingiu o Brasil no seculo XVIII, voltara com força, ondas de 20 a 100 metros de altura, diz médium

0
1804
Compartilhe

Médium que prevê um tsunami no Brasil. Milhares de pessoas já compartilharam publicação de um tsunami que destruiria boa parte da costa brasileira, com ondas entre 30 e 100 metros de altura – Veja o vídeo no final do texto.

Após novo recuo do mar no litoral da ragião Sul até o Rio de Janeiro.

Registrou ainda que, apesar de a Nasa estar envolvida na pesquisa e nas ciências relacionadas aos tsunamis, não emite alertas ou avisos sobre eles nem prevê os seus impactos.

Geralmente, a manifestação se dá de maneira inversa, com o aumento do nível do mar e as ressacas sendo mais comuns, mas a diminuição do nível da água, embora mais rara, pode estar dentro da normalidade.

De acordo com especialistas consultados pelo UOL, o risco de um tsunami atingir o litoral brasileiro existe, porém não há indicações de que isso vá acontecer num prazo de centenas-

texto, que se espalhou pelas redes sociais com várias informações equivocadas, descreve que desde 2001 cientistas avisam sobre o possível colapso de uma rocha vulcânica em La Palma, que faz parte das Ilhas Canárias, arquipélago que é uma região autônoma da Espanha.

Essa possibilidade é realmente objeto de estudo de geólogos e de outros especialistas pelas possíveis consequências nas áreas ao redor do vulcão Cumbre Veija.

Dr. Simon Day pesquisador do Instituto de Risco e Redução de Desastre da University College of London, que se debruça sobre o tema há duas décadas, explica que os primeiros cálculos sobre o Cumbre Vieja mostravam movimentos geológicos em velocidade maior.

DE ACORDO COM DAY

Pequenos deslizamentos que produzem tsunamis são bastantes comuns vulcões em outros lugares do mundo e modelos matemáticos indicam que um deslizamento nas Ilhas Canárias ou em Cabo Verde poderia produzir ondas de tsunami que atingiram as costa do Nordeste do Brasil, mas esses modelos precisam ser testados e estudados localmente e não foram comprovados cientificamente.

Na última vez em que o vulcão Cumbre Vieja em atividade, em 1949, o movimento aconteceu em milímetros por semana, o que possibilita saber, com bastante antecedência, quando pode haver um deslizamento de grandes proporções.

De acordo com o pesquisador britânico, ainda há muitas incertezas sobre a quantidade de energia que as ondas perdem quando se aproximam dos litorais através de águas rasas, que é o caso do Atlântico, por isso é difícil mensurar com que tamanho essa onda chegaria ao Nordeste. Mas ele diz que provavelmente não teriam nem um décimo do tamanho das ondas que atingiram a Indonésia; em dezembro de 2004, causando a morte de mais de 230 mil pessoas em 14 países diferentes.

Compartilhe